Março Amarelo: a campanha colorida pela conscientização sobre a endometriose

Março Amarelo: a campanha colorida pela conscientização sobre a endometriose

As campanhas coloridas lembram sobre a importância do cuidado integral com a saúde, cada mês uma cor, cada cor uma causa!

Março, mês da mulher, mês de falar sobre a saúde feminina, mês de conscientização sobre a endometriose.

  • O que é endometriose?

O endométrio é o tecido que reveste a parte interna do útero, preparando-o todos os meses para uma possível gravidez. Quando o óvulo não é fecundado, o endométrio começa a descamar para ser expelido na menstruação.  Porém, não se sabe bem o motivo, em alguns casos as partículas do endométrio seguem na direção contrária e se instalam em diferentes partes da pelve, como bexiga, intestino, trompas e ovários.

Embora seja raro, a endometriose pode aparecer em outros órgãos fora da cavidade pélvica, a exemplo dos pulmões, fígado, até mesmo no cérebro. Nesses casos as células endometriais são transportadas pela circulação sanguínea e/ou linfática. 

Trata-se da doença ginecológica atualmente mais frequente e estima-se que entre 10 a 15% de mulheres em idade fértil sejam acometidas pela endometriose.

As causas da endometriose ainda não estão bem esclarecidas, estudos demonstram que alterações genéticas e no sistema imunológico são fatores de predisposição à doença.

A presença irregular do tecido endometrial em órgãos ou estruturas que não sejam interior do útero, causa processos inflamatórios e uma série de sintomas que prejudicam a qualidade de vida das mulheres. A doença está principalmente ligada à dor e à infertilidade, por isso, mexe muito com o emocional, e é importante estar atento à necessidade de apoio psicológico.

  • Os principais sintomas:

Os sintomas da endometriose podem variar bastante, entretanto os mais comuns são os seguintes:

•          Cólicas menstruais severas ou incapacitantes;

•          Diarreia ou dor intestinal durante a menstruação;

•          Dor durante as relações sexuais;

•          Dores pélvicas, principalmente no período menstrual;

•          Urgência miccional e possível dor ao urinar.

Mulheres com endometriose podem apresentar todos, um ou nenhum dos sintomas acima descritos. Com efeito, estimativas sugerem que 25% das pacientes são assintomáticas, ou seja, não manifestam nenhum desses sinais. Dessa forma, o diagnóstico precoce e correto torna-se complexo e difícil de ser alcançado. É frequente a ausência de sintomas clínicos, sendo em muitos casos, a única queixa, a dificuldade de engravidar, ou mesmo achados em exames de imagem, pedidos por qualquer outro motivo.

  • Tratamentos

O tratamento da endometriose pode ser clinico, cirúrgico ou a combinação de ambos. Tem por buscar o alívio dos sintomas, em especial a dor pélvica, a preservação da fertilidade, principalmente em mulheres mais jovens, e a prevenção de recorrências.  

A abordagem terapêutica deve estar embasada no diagnóstico correto da localização e extensão da doença, resultado de uma avaliação clínica criteriosa e de estudos de imagem meticulosos, com ultrassons específicos e ressonâncias magnéticas.

Toda a mulher deve manter seu acompanhamento ginecológico em dia e em caso de sintomas como:  dor pélvica, cólicas intensas no período menstrual ou dor durante e após a relação sexual, procurar imediatamente um ginecologista para diagnóstico e tratamento adequado. 

Este conteúdo foi útil para você? Compartilhe-o, marque uma mulher que você ama. Informação de qualidade pode salvar vidas.

Oncocenter, dedicada a você!

Fontes: FEBRASGO, Ministério da Saúde.

Siga-nos

Notícias recentes

A importância da mamografia

O câncer de mama é o tipo mais frequente de câncer em mulheres a partir dos 55 anos de idade, mas, também pode acometer mulheres

Outubro Rosa: como surgiu

A campanha colorida, ou melhor, o movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa surgiu nos Estados Unidos, na cidade de Nova York, em 1997, como

× Como posso te ajudar? Available from 08:00 to 18:00