Agosto branco: mês de prevenção e conscientização sobre o câncer de pulmão.

Agosto branco: mês de prevenção e conscientização sobre o câncer de pulmão.

As campanhas coloridas lembram sobre a importância do cuidado integral com a saúde. Neste mês de agosto, o laço é BRANCO! E vamos falar sobre câncer de pulmão.

A campanha Agosto Branco trata de uma questão de saúde pública mundial, apesar da queda nos índices de fumantes – o tabagismo é responsável por aproximadamente 85 % dos diagnósticos – os números do câncer de pulmão são alarmantes: em 2020, foram 2,2 milhões de novos casos e 1,8 milhões de mortes no mundo. 

A estimativa nacional para casos de câncer de pulmão durante o triênio 2020-2022 é de 17.760 em homens e 12.440 em mulheres – totalizando cerca de 30 mil mortes no país. Por isso, a campanha é tão importante, pois visa a contribuir para a conscientização quanto à importância da saúde dos pulmões e à prevenção desse tipo de câncer, uma doença silenciosa e que pode ser fatal. O câncer de pulmão é normalmente diagnosticado em estágios avançados, já que os sintomas iniciais da doença não são muito claros

Tabagismo: a principal causa

A relação entre tabagismo e incidência de câncer de pulmão é direta, visto que 85% dos casos da doença estão ligados ao consumo do tabaco e seus derivados. O cigarro além de ser o principal responsável pelo câncer de pulmão, provoca outros tipos de câncer. O ato de fumar é considerado a principal causa prevenível em saúde pública, o fumante aumenta o risco de desenvolver diversos tipos de câncer, não somente o câncer de pulmão, mas também o de cabeça e pescoço, esôfago, bexiga, pâncreas, além de doenças cardiovasculares, derrames, asma, bronquite, impotência e infertilidade, dentre outras doenças e disfunções.

Graças às campanhas de conscientização e endurecimento nas legislações antifumo em ambientes públicos e privados, observa-se uma redução no número de fumantes. A Pesquisa Nacional de Saúde de 2019, realizada pelo IBGE, mostrou que 12,6% dos brasileiros consomem cigarros regularmente. O número é significativamente menor do que a porcentagem apresentada pela Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição, feita em 1989, que constatava que 34,8% da população era fumante.

Sintomas

Os sintomas mais frequentes no câncer de pulmão são a tosse e o sangramento pelas vias respiratórias. Geralmente, eles ocorrem quando o câncer já está avançado, mas em alguns casos, a doença manifesta sintomas nos estágios iniciais. Conheça outros sintomas:

  • Dor contínua no tórax (peito).
  • Falta de ar, também chamada de dispneia, em atividades do dia a dia, como tomar banho, ou até em repouso.
  • Inchaço no pescoço ou na face.
  • Perda repentina de peso.
  • Pneumonias de repetição (mal curadas) ou bronquite.
  • Sensação de cansaço e fraqueza.
  • Presença de sangue no escarro (hemoptise), juntamente com a tosse.
  • Rouquidão por mais de uma semana.
  • Tosse: geralmente seca e contínua por mais de três semanas. Nos fumantes, a tosse crônica muda, tornando-se mais intensa ou ocorrendo em horários diferentes dos habituais.

Vale lembrar que alguns desses sintomas são comuns às infecções pulmonares. Além disso, muitos fumantes apresentam esses sintomas como consequência de bronquite crônica ou enfisema pulmonar. Por isso, para um diagnóstico preciso, procure um médico.

Se você for ao médico quando perceber algum desses sintomas pela primeira vez e estiver com câncer de pulmão, a doença pode ser diagnosticada em estágio inicial, quando é mais provável que o tratamento seja efetivo.

Prevenção

Para prevenir o câncer de pulmão é preciso evitar os fatores de risco. Veja algumas atitudes importantes para evitar o desenvolvimento da doença:

Não fume: o tabagismo é o fator de risco mais importante para o câncer de pulmão. Os fumantes têm cerca de 20 a 30 vezes mais chances de ter câncer de pulmão. O risco aumenta com o tempo e número de cigarros consumidos.

Evite o fumo passivo: expor-se a fumaça do tabaco sem ser fumante também é um fator de risco. As pessoas que inalam o fumo passivo estão expostas aos mesmos agentes causadores de câncer.

Reduza a exposição a alguns tipos de elementos químicos: substâncias como amianto são extremamente prejudiciais e não existem níveis seguros para o seu contato. Trabalhadores que precisam lidar com esse tipo de material devem ficar atentos às medidas de segurança para evitar o contato.

Tratamento

O tratamento do câncer de pulmão requer a participação de um grupo multidisciplinar, formado por oncologista, cirurgião torácico, pneumologista, radioterapeuta, radiologista, enfermeiro, fisioterapeuta, nutricionista e assistente social.

Para o adequado planejamento do tratamento, é necessário fazer o diagnóstico histológico e o estadiamento para definir se a doença está localizada no pulmão ou se existem focos em outros órgãos.

Cuide-se, evitar o câncer de pulmão está em suas mãos! Abandone o tabagismo e o fumo passivo, se tem dificuldade, busque ajuda.

Oncocenter, dedicada a você!

Siga-nos

Notícias recentes

Hepatites virais e câncer de fígado

As hepatites virais são causadas por vírus que infectam as células do fígado e podem provocar hepatite aguda, fulminante, crônica, cirrose e câncer. São mais conhecidas como hepatites A,

O QUE É O GIST

O GIST é um tumor estromal gastrointestinal, que geralmente cresce a partir de células específicas localizadas na parede do trato gastrointestinal, chamadas células intersticiais de

× Como posso te ajudar? Available from 08:00 to 18:00