Fevereiro Laranja: a campanha colorida sobre o combate à leucemia.

As campanhas coloridas lembram sobre a importância do cuidado integral com a saúde, cada mês uma cor, cada cor uma causa!

Fevereiro, mais um mês laranja, mas dessa vez, o alerta é sobre a leucemia.

A campanha Fevereiro Laranja foi idealizada em 2005, pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), rede de cooperação internacional que tem por objetivo empreender ações que resultem na queda da incidência de câncer no mundo. A rede conta com 1176 instituições de 172 países.

O que é leucemia:

A leucemia é uma neoplasia (câncer) no sangue, que atinge os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, responsáveis por combater infecções, e produzir globulinas, proteínas que fortalecem o sistema imunológico.

Na leucemia, leucócitos doentes são formados na medula óssea e atrapalham a produção de leucócitos saudáveis, diminuindo seu número normal.

O que é medula óssea:

A medula óssea é um tecido gelatinoso, encontrado no interior dos ossos, que tem a função de produzir as células sanguíneas: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas.

As células-tronco da medula óssea são responsáveis pela produção de todas as células sanguíneas.

Os tipos de leucemia:

A leucemia é classificada conforme a velocidade do crescimento de células anormais, podendo ser aguda ou crônica. 

A leucemia crônica progride lentamente e o paciente têm uma quantidade maior de células saudáveis. Na leucemia aguda, a doença avança rápida e agressivamente, deixando poucas células saudáveis, capazes de realizar suas funções.

A classificação ocorre também, a partir do tipo de leucócito doente: mieloide ou linfoide.

Dessas duas classificações, surgem os quatro principais tipos de leucemia:

  • Leucemia Mieloide Aguda (LMA): os leucócitos do tipo mieloide passam a se multiplicar de forma anormal, agressiva e rápida, prejudicando o desenvolvimento de células sanguíneas saudáveis na medula óssea, levando à anemia, queda de plaquetas e queda de leucócitos normais.
  • Leucemia Mieloide Crônica (LMC): os leucócitos do tipo mieloide se multiplicam de forma lenta, pacientes com LMC apresentam uma superprodução de glóbulos brancos, geralmente com uma evolução lenta no crescimento das células doentes. Alguns pacientes são completamente assintomáticos e a doença é descoberta em um exame comum de sangue.
  • Leucemia Linfoide Aguda (LLA): os leucócitos do tipo linfoide se multiplicam de anormal, agressiva e rápida, suprimindo o desenvolvimento de células saudáveis. 
  • Leucemia Linfoide Crônica (LLC): nesse tipo de leucemia, ocorre o crescimento desordenado e rápido de um linfócito específico (tipo B), que não impede a produção de células normais, ou seja, ao mesmo tempo em que há produção de células com problemas, por outro lado o processo de fabricação e maturação das células saudáveis continua acontecendo. Por isso, em alguns casos, não é necessário realizar tratamento, entretanto, vale ressaltar que essa é uma decisão atribuída ao médico especialista. 

 O médico especialista para doenças do sangue é o hematologista. Na Oncocenter, oferecemos esta e outras especialidades para o cuidado integral com a sua saúde.

Para saber mais sobre os sinais e sintomas da leucemia, formas de diagnóstico e tratamento, acompanhe nossas postagens ao longo do mês de fevereiro. 

Faça a diferença na vida de outras pessoas, curta e compartilhe conteúdos relevantes.

Oncocenter, dedicada a você!

Fontes: INCA (Instituto Nacional do Câncer) / UICC (União Internacional para o Controle do Câncer) / ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar? Available from 08:00 to 18:00